Penitenciária de Pacatuba

Complexo Empresarial São Mateus
4 de dezembro de 2017
Banco do Nordeste
30 de novembro de 2017

O Presídio foi construído com o que há de mais moderno em sistema de segurança e recebeu câmeras de vídeo monitoramento da Axis Communications.

 

Missão
Com a missão de abrigar custodiar cerca de 500 presos condenados a regime fechado, a Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, em Pacatuba, Região Metropolitana de Fortaleza, precisava de um sistema de segurança extremamente robusto. Através de recursos do Ministério da Justiça e do tesouro do Governo do Estado do Ceará, foi implementada uma plataforma de segu- rança moderna com equipamentos de última geração que inclui desde câmeras de rede da Axis Communications até recursos de detecção de movimento, de controle de acesso e muito mais.

Solução
A experiência da integradora Imagem Segurança no segmento de vídeo em rede e no nicho de Segurança Prisional foi fundamental para o sucesso deste projeto. A Penitenciária é pioneira na implementação de uma solução integrada de segurança – que traz sistema de vídeo monitoramento IP com câmeras em rede, recurso que detecta movimento e software de reconhecimento de face e solução de controle de acesso. O projeto inclui 180 câmeras de rede Axis, sendo grande parte HDTV, ou seja, com imagens em alta definição.

Com relação aos modelos dos equipamentos, a penitenci- ária conta com 30 Câmeras de Rede AXIS P1344 que oferece qualidade de vídeo HDTV, quatro no modelo AXIS P5534, seis AXIS M1054 e as demais são AXIS M1011.
A Imagem Segurança indicou modelos de câmeras espe- cíficos para cada necessidade (ambiente externo ou interno, dia e noite, etc), sempre levando em consideração a alta qualidade de imagem, acesso à informação em tempo real, escalabilidade do projeto e maximização do trabalho da equipe de TI.

Resultado
As Câmeras de Rede da Axis proporcionam alta qualidade de imagem, facilidade de gestão do sistema e maior conforto à equipe de segurança devido aos recursos de alarme que eliminam a necessidade de atenção às telas o tempo todo. As Câmeras de Rede monitoram o perímetro interno e externo e a circulação entre os pontos de vivências coletivas. Ainda, com objetivo de reforçar a segurança das próprias câmeras de rede, foram instaladas caixas de aço em alguns modelos – no combate ao vandalismo.

A Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo foi concebida com base em tecnologia de última geração e recebeu uma plataforma de segurança, implementada pela integradora Imagem Segurança, que serve de modelo para os demais presídios do país. O Ministério da Justiça e o Governo do Estado fizeram questão de investir num ambiente moderno e seguro que permitisse total segurança a todos, funcionários, visitantes e detentos. Nesse sentido, o projeto envolve – de forma integrada – equipamentos inovadores que inclui: câmeras de rede da fabricante Axis Communications, software de reconhecimento de face da ISS, recursos de detecção de movimento, soluções de controle de acesso e canhões de infravermelho nas muralhas.

As câmeras de rede da Axis, em conjunto com o software Securos da ISS monitoram o perímetro interno e externo e a circulação entre os pontos de vivências coletivas. O software Securos é responsável pela captura de face em todos os torniquetes (portas-giratórias).

O presídio traz sistema de monitoramento abrangente. O espaço é dividido em oito pontos de vivências coletivas e possui 20 vagas para o isolamento individual. Ele possui os módulos de Tratamento Penal (no qual serão realizados os atendimentos jurídicos e sociais aos presos custodiados); de Saúde (farmácia, enfermaria, consultório médico e odontológico); Escolar (salas de aula com capacidade para 120 alunos, biblioteca e sala de informática); e Laboral (destinadas as oficinas de atividades laborais). A unidade conta também com uma cozinha industrial, uma padaria e salão polivalente para atividades sociais.

 

Os principais diferenciais desse projeto são a forma simples de operar o sistema e a perfeita integração de todo o projeto de segurança: das câmeras em rede com as soluções de controle de acesso, o software de reconhecimento de face, etc.

Mário Jorge, responsável pelo projeto na SEJUS – Secretaria da Justiça.